Carlos Gustavo Yoda

jornalista = comunicador de redes

Os limites da imaginação

Qual o limite da sua imaginação? A minha reserva-se até quantos pacotes de macarrão com salsicha agüentar engolir. A imaginação da companhia canadense Cirque du Soleil vai mais longe. Muito mais. Enquanto penamos em pagar o aluguel, a empresa com mais de quatro mil trabalhadores, entre executivos e malabaristas, já atinge por ano a marca de um bilhão de dólares.

Para quem pensa que é do ingresso dos 15 espetáculos em giro pelo mundo e da venda de pipoca nos intervalos está enganado. O Jornal da Globo dessa sexta-feira, dia 8, destacou a máquina corporativa que estréia em São Paulo a segunda turnê da trupe no Brasil: “Alegria”.

“Para manter o nível de investimento dos nossos shows, é preciso reinvestir sempre. Quando criamos um produto, o próximo precisa ser ainda melhor e maior”, diz Josito, diretor geral do ‘Alegria’.

Guy Laliberté, único dono da empresa, adotou os métodos comerciais da indústria do entretenimento, vendendo merchadising e direitos de exibição para televisão, produzindo cds e dvds e acordos comerciais com grandes corporações.

O resultado e a conclusão da reportagem de César Menezes é a de que “quando o ‘Cirque de Soleil’ cria alguma coisa o mais importante é a criatividade. O orçamento não é a preocupação principal. O dinheiro garante que não haja freios à imaginação”, diz Michael Smith, diretor artístico sênior do grupo.

No comments yet»

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: